Fechar
Início do Conteúdo Principal

Noz Pecã

Noz Pecã Nome científicoCarya illinoensis (Wang.) K.
Nome popular: noz-pecã, noz americana; pecan nut, em inglês
Família botânica: Jungladaceae
Origem e dispersão: a nogueira pecã é originária do Sul dos Estados Unidos, onde pode ser encontrada em estado nativo. No Brasil, foi introduzida por volta de 1910.

Características: a nogueira pecã é uma planta de grande porte, o que exige espaçamentos de 9 x 9 m ou 10 x 10 m. O tamanho das nozes é bastante variável com o cultivar, sendo necessárias de 60 a 160 nozes para atingir o peso de 1 kg. Cada noz pesa de 60 a 150 g, com 50 a 60% de rendimento de amêndoa, dependendo da variedade. É alongada e lisa, diferente da noz-européia. Do seu alto teor de gordura total, boa parte é de óleos insaturados. A semente é nutritiva e doce, consumida após extraída da casca, lisa por fora e de cor castanha, com manchas negras. Os frutos são colhidos de março a abril. Conservam-se menos que a noz europeia e são mais difíceis de abrir do esta, sem quebrar as sementes.
Clima e solo: planta oriunda de clima temperado, pode ser encontrada em diferentes condições climáticas. No plantio, devem ser evitados os solos rasos, excessivamente secos e os sujeitos a longos períodos de encharcamento.
Propagação: pode ser realizada por enxertia de borbulhia, no verão, ou de garfagem, no inverno, sobre porta-enxertos oriundos de sementes.
Variedades: os cultivares comerciais existentes no Brasil são oriundos dos Estados Unidos e os mais importantes são Mahan, Frotscher, Schley, Success e Moneymaker.
Utilização: as amêndoas normalmente são consumidas in natura. Também podem ser utilizadas como as nozes comuns ou amêndoas, na confeitaria, na culinária e ainda como medicinais.

Fonte: http://www.todafruta.com.br/noz-peca/

Outras Mudas - Plantas Frutíferas